Ainda em lenta recuperação, índice de estoques do comércio varejista apresenta estabilidade em abril, aponta FecomercioSP

Dólar salta mais de 1% e fecha o dia cotado a R$ 3,14
20 de abril de 2017
Vendas do comércio de Ribeirão Preto caem -0,87% em março de 2017
26 de abril de 2017

Segundo pesquisa da Entidade, porém, na comparação com o mesmo mês de 2016, porcentual de empresários que consideram seus estoques adequados subiu 6,5 p.p.

O aguardado equilíbrio no nível de estoques do comércio varejista de São Paulo, após as promoções do primeiro trimestre do ano, ainda não aconteceu e o ajuste segue em ritmo lento. Em abril, o Índice de Estoques (IE) atingiu 98,7 pontos, praticamente estável na comparação com março (98,9 pontos) e 15,3% superior em relação ao mesmo mês de 2016. A estabilidade do indicador no mês foi motivada pelo crescimento de 0,8 ponto porcentual (p.p.) na proporção de empresários que afirmaram contar com estoques abaixo do ideal e na queda de 0,6 p.p. dos que apontaram estar com mercadorias acima.

Com isso, cerca de 36,1% dos empresários estão vendo seus estoques acima e 14,5% abaixo do que consideram o nível ideal. Já a parcela de empresários que afirmou estar com estoques no nível adequado atingiu 49,2%, ainda abaixo do histórico de antes de 2015, quando o indicador rondava os 60%.

Os dados são do Índice de Estoques (IE) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), que capta a percepção dos comerciantes sobre o volume de mercadorias estocadas nas lojas, e varia de zero (inadequação total) a 200 pontos (adequação total). A marca dos cem pontos é o limite entre inadequação e adequação.

De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, era esperado que passado o Natal e a temporada de liquidações de início de ano, além da provável retomada gradativa da atividade econômica, o excesso de mercadorias nas prateleiras fosse se ajustando.

Os resultados de abril revelam que esse processo de ajuste está ocorrendo, porém, de maneira lenta. No geral, a FecomercioSP pondera que o momento é de acompanhar de perto o desempenho do varejo, sabendo do clima mais positivo da economia atual, porém, sem exagerar no entusiasmo. Para a Federação, os empresários de ramos sazonais (como moda e vestuário) devem fazer novas encomendas aos poucos, e ao mesmo tempo acelerar as promoções do final da estação de calor e férias.

Nota metodológica

O Índice de Estoques é apurado mensalmente pela FecomercioSP desde junho de 2011, com informações de cerca de 600 empresários do comércio nos municípios que compõem a região metropolitana de São Paulo. O indicador vai de zero a 200 pontos, representando, respectivamente, inadequação total e adequação total. Em análise interna dos números do índice, é possível identificar a percepção dos pesquisados relacionada à inadequação de estoques para “acima” – quando há a sensação de excesso de mercadorias – e para “abaixo”, em casos de os empresários avaliarem a falta de itens disponíveis para suprir a demanda a curto prazo.

Fonte: FecomercioSP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *