Mesmo com a volta do auxílio, renda do brasileiro deve cair R$ 157 bi em 2021

Comprar um imóvel será mais caro em 2021, com dólar alto e maior procura
19 de março de 2021
Confederação da Indústria prevê crescimento de 3% do PIB em 2021
23 de março de 2021

Conta leva em consideração a chamada massa de rendimentos, que é o total recebido por todos os trabalhadores no país; entenda

Por Agência O Globo | 22/03/2021 09:06

Renda do brasileiro deve cair R$ 157 bilhões em 2021, mesmo após volta do auxílio
O DiaRenda do brasileiro deve cair R$ 157 bilhões em 2021, mesmo após volta do auxílio

A renda total dos brasileiros pode recuar R$ 157 bilhões em 2021 por causa da  redução do auxílio emergencial e das incertezas que rondam a economia, principalmente a recuperação do mercado de trabalho diante da nova onda da Covid-19. A projeção está em relatório da Tendências Consultoria, obtido com exclusividade pelo jornal EXTRA.

“Diante do enxugamento das políticas sociais compensatórias e da perspectiva de recuperação moderada do mercado de trabalho neste ano, a massa de renda total domiciliar no Brasil deve apresentar retração de 3,5%, após alta de 5,2% em 2020″, diz o documento, assinado pelo economista Lucas Assis.Continua após a publicidade

A conta leva em consideração a chamada massa de rendimentos , que é o total recebido por todos os trabalhadores no país. No ano passado, esse montnate foi de R$ 4,460 trilhões. Neste ano, a projeção é de 4,303 trilhões. Os R$ 157 bilhões são a diferença entre esses dois valores.

As projeções da consultoria consideram todas as fontes de renda, como rendimento de trabalho , aluguel , benefícios previdenciários e programas sociais — como o Bolsa Família e o auxílio emergencial .

O maior recuo será sentido nas transferências aos vulneráveis, que vão diminuir 62,2%, depois de avanço de 221,7% em 2020.

Isso é reflexo direto da redução do valor do auxílio emergencial nesta reedição do programa. Em 2020, o auxílio teve cinco parcelas de R$ 600 e mais quatro de R$ 300. O governo desembolsou R$ 293,1 bilhões e alcançou quase 68 milhões de pessoas.

Neste ano, será pago em quatro parcelas de R$ 250. Mulheres chefes de família recebem cota de R$ 375 e quem mora sozinho, R$ 150. Só uma pessoa por domicílio pode receber os valores.

Ainda assim, a Tendências estima que para 73,7% dos beneficiários do Bolsa Família a parcela do novo auxílio será mais vantajosa.

A partir de agosto, a consultoria trabalha com a reformulação do programa, que já foi confirmada pelo ministro da Cidadania, João Roma.

“Ao ampliar a cobertura de proteção social entre os considerados “invisíveis”, o novo desenho do PBF (Bolsa Família) deve atender 17,0 milhões de famílias (2,5 milhões a mais ante março de 2021) por meio de um benefício médio nominal de R$ 250 — acima do creditado atualmente (R$ 186)”, pontua Assis.

Fonte: Economia – iG @ https://economia.ig.com.br/2021-03-22/mesmo-com-a-volta-do-auxilio–renda-do-brasileiro-deve-cair-r–157-bi-em-2021.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *