Número de empresários do varejo com estoques elevados cai de forma acelerada em maio

Dólar sobe 1,1%, a R$ 3,29; Bolsa cai 1,5%, com tombo de 11% da JBS
22 de maio de 2017
Vendas do comércio de Ribeirão Preto caem -1,78% em abril de 2017
24 de maio de 2017

Segundo pesquisa da FecomercioSP, proporção de empresários que declararam estar com os estoques acima do adequado caiu 4,1 p.p. em relação a abril atingindo 32,0%, o menor nível desde julho de 2015

Os comerciantes do varejo de São Paulo estão conseguindo equilibrar seus estoques ainda no primeiro semestre do ano. Em maio, o Índice de Estoques (IE) atingiu 105,6 pontos, crescimento de 7% na comparação com abril e 20,8% superior ao registrado em maio de 2016. A evolução do indicador foi motivada pela queda de 4,1 pontos porcentuais (p.p.) no número de empresários que afirmaram estar com estoques acima do ideal na comparação com abril e -7,8 p.p. no contraponto anual.

Em maio, cerca de 32% dos empresários afirmaram estar com os estoques acima do adequado, a menor proporção desde julho de 2015,e15,1% abaixo do que consideram ideal. A parcela de empresários que consideram seus estoques adequados atingiu 52,7%, ainda abaixo do histórico de antes de 2015, quando o indicador rondava os 60%.

O Índice de Estoques (IE) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) capta a percepção dos comerciantes sobre o volume de mercadorias estocadas nas lojas e varia de zero (inadequação total) a 200 pontos (adequação total). A marca dos 100 pontos é o limite entre inadequação e adequação.

De acordo com a Entidade, os diferenciais entre os estoques acima e abaixo caíram bastante após permanecerem elevados por bastante tempo, mas ainda assim a proporção de empresários com excesso de produtos nas prateleiras tem se mantido um pouco acima do esperado. A Federação esperava que os dados posteriores ao Natal e no início do ano fossem apenas uma fotografia de um momento ruim. E com as promoções de vendas no primeiro trimestre com a provável retomada gradativa da atividade,o excesso de estocagem fosse se ajustando, mas isso não ocorreu como projetado. Somente agora em maio que, aparentemente, o quadro referente aos excessivos e onerosos estoques começa a caminhar para a normalidade, quando se espera, por experiência com os dados, que mais de 60% dos empresários estejam com os estoques adequados e menos de 25% deles tenham excesso de mercadorias.

A redução dos estoques somente se manterá, segundo a Entidade, em um ambiente de crescimento um pouco mais rápido com uma forte dose de conservadorismo por parte dos comerciantes no momento em que forem projetar novos pedidos e vendas. Nesse contexto, o acompanhamento deste indicador nos próximos meses é extremamente importante para antecipar a retomada mais vigorosa da produção industrial.

Nota metodológica
O Índice de Estoques é apurado mensalmente pela FecomercioSP desde junho de 2011, com informações de cerca de 600 empresários do comércio nos municípios que compõem a região metropolitana de São Paulo. O indicador vai de zero a 200 pontos, representando, respectivamente, inadequação total e adequação total. Em análise interna dos números do índice é possível identificar a percepção dos pesquisados relacionada à inadequação de estoques para “acima” – quando há a sensação de excesso de mercadorias – e para “abaixo” em casos de os empresários avaliarem a falta de itens disponíveis para suprir a demanda a curto prazo.

Fonte: FecomercioSP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *