Prefeitura de Ribeirão Preto sinaliza que pode reabrir comércio varejista após dia 22/4

Crise causada por coronavírus pode provocar perda de pelo menos R$ 115 bilhões ao comércio varejista nacional
14 de abril de 2020
Economia brasileira cresceu 0,2% em fevereiro, calcula FGV
16 de abril de 2020

Na manhã desta terça-feira (14/4), o Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto (SINCOVARP) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Ribeirão Preto) participaram de videoconferência com o prefeito Duarte Nogueira, o secretário municipal de saúde, Dr. Sandro Scarpelini, membros da equipe do governo municipal e outras lideranças setoriais da cidade. Na ocasião, as duas instituições defenderam, junto com as demais, a necessidade de se retomar as atividades econômicas, em Ribeirão Preto, bem como reabrir o comércio varejista, o quanto antes, ainda que de forma gradual.

SINCOVARP e CDL ainda argumentaram pela reabertura imediata de lojas e empresas que são importantes para segmentos essenciais, exemplo: lojas de tecidos, confecções, aviamentos, perfumaria e higiene pessoal, papelaria, escritórios de contabilidade e de advocacia, entre outros.

O secretário Scarpelini atualizou o cenário da COVID-19, em Ribeirão Preto, e destacou que, por meio de levantamentos técnicos, constatou que, no momento, o crescimento do número de casos na cidade é linear e não exponencial. Com base nisso, sustentou que haveria espaço para uma retomada.

Sendo assim, o prefeito Duarte Nogueira e sua equipe sinalizaram para as entidades a intenção de flexibilizar a quarentena após o próximo dia 22/4 (quarta-feira). Com isso haveria uma reabertura organizada do comércio que, por sua vez, deverá, caso essa possibilidade se confirme, seguir rigorosamente as regras sanitárias e de funcionamento, determinadas pelas autoridades em saúde. Pessoas do grupo de risco deverão continuar em isolamento.

Nogueira ressaltou, ainda, que empresas e locais com grande potencial de aglomeração de pessoas, como igrejas, cinemas, escolas, entre outros, permaneceriam fechados.

“Caso realmente seja confirmada essa reabertura do comércio, será um grande avanço no sentido de equilibrar a proteção à vida humana, que tem de acontecer, com a necessidade de se manter a roda da economia girando, evitando fechamentos de empresas e desemprego em massa no varejo lojista e outros setores. Vamos continuar trabalhando para que a reabertura aconteça pra valer”, afirma Paulo César Garcia Lopes, presidente do SINCOVARP e da CDL RP.

Outro aviso importante do prefeito é que, caso a situação da pandemia se agrave, ele poderá decretar novamente a suspensão das atividades empresariais como estratégia de combate à COVID-19.

Sobre tributos

Questionado se já haveria alguma definição quanto a uma possível isenção de impostos municipais, solicitada pelas entidades (incluindo SINCOVARP e CDL), referentes ao período de portas fechadas, o prefeito foi taxativo ao dizer que não poderá abrir mão de tributos, até por prever uma significativa queda na arrecadação. No entanto, sinalizou com a possibilidade de um Refis pelo qual os empresários poderiam pagar os impostos devidos de forma parcelada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *