Queda nas vendas desacelera no comércio de Ribeirão Preto

Vendas do comércio de Ribeirão Preto têm queda de -2,27% em agosto
3 de janeiro de 2017
Outubro vende menos e comércio aposta no fim de ano para engatar recuperação
3 de janeiro de 2017

O resultado indica uma recuperação do setor e traz mais otimismo para o varejo neste fim de ano

As vendas no comércio de Ribeirão Preto (SP) tiveram queda de -1,60% em setembro de 2016 na comparação com o mesmo período do ano passado. É o que aponta a pesquisa Movimento do Comércio, realizada mensalmente pelo SINCOVARP – Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto e Região.

Apesar da variação negativa – a 22ª segunda consecutiva – o percentual é o melhor obtido em 2016 e indica uma tendência de recuperação do setor, ou seja, as vendas estão caindo menos e podem ser melhores do que os lojistas esperavam neste fim de ano.

Entre as empresas entrevistadas, 62,5% consideraram as vendas de setembro desse ano piores do que no mesmo mês de 2015, enquanto 31,2% disseram o contrário e 6,3% declararam que as vendas foram equivalentes nos dois períodos.

Setorial

Os setores que apresentaram bom resultado são os de Cine/Foto (+ 2,15%), Presentes (+ 0,87%) e Calçados (+ 0,57%). A variação negativa atingiu os setores de Livraria/Papelaria (– 5,58%), Eletrodomésticos (– 4,67%), Tecidos/Enxoval (– 4,34%), Móveis (– 1,80%), Vestuário (– 0,88%) e Ótica (– 0,70%) .

Nível de emprego

A pesquisa apurou uma queda de – 0,43% no índice de postos de trabalho no comércio, em setembro. Entre as empresas entrevistadas, 93,7% mantiveram seus quadros de funcionários durante o mês, enquanto 6,3% demitiram e nenhuma delas declarou ter contratado. Entre os setores, os que tiveram redução no quadro funcional são os de Tecidos/Enxoval (­– 2,39%) e Vestuário (– 1,47%).

Modalidade de pagamento

O cartão de crédito continua a ser o meio de pagamento mais usado pelo consumidor ribeirão-pretano sendo responsável por 53,06% das transações realizadas pelo comércio, em setembro desse ano. Em seguida, vêm os pagamentos à vista com 33,79% das transações. A modalidade menos utilizada é a de cheques pré-datados ou carnês, com apenas 13,15% de utilização na hora do pagamento.

O setor com maior concentração de vendas por cartão de crédito é o de Ótica (60,67% de utilização da modalidade), seguido de perto pelo segmento de Calçados (60,63%). O setor com maior concentração de vendas à vista é o de  Livraria/Papelaria (64,17%). Já o setor com maior concentração de vendas à prazo  -cheques pré ou carnês – é o de Eletrodomésticos (21,00%).

Análise do especialista

Segundo Marcelo Bosi Rodrigues, economista do SINCOVARP e responsável pela pesquisa, o cenário econômico mudou completamente após o Impeachment. “O novo governo conseguiu implantar uma agenda positiva que vem ao encontro dos anseios do mercado, buscando alternativas para equilibrar as contas públicas sem o temido aumento da carga tributária. Essa mudança de rumos trouxe a todos os agentes econômicos uma melhoria da expectativa futura e, por consequência, uma retomada no ânimo de investidores e consumidores. Ainda vai demorar um pouco para que esse entusiasmo se transforme em mais investimentos, consumo, emprego e renda, mas os primeiros passos já foram dados”, afirma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *