Vendas do comércio de Ribeirão Preto têm crescimento de 1,36% em janeiro de 2018

Perspectiva de alta no consumo alimenta aposta no varejo
19 de fevereiro de 2018
Governo descarta reforma via projeto de lei
21 de fevereiro de 2018

Dois mil em dezoito começou com um novo fôlego para o varejo de Ribeirão Preto. Em janeiro, as vendas tiveram crescimento médio 1,36%, na comparação com o mesmo período de 2017. É o que aponta a Pesquisa Movimento do Comércio, realizada pelo Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto e Região (SINCOVARP). Entre as empresas entrevistadas, 52,1% consideraram que venderam mais em janeiro de 2018, enquanto 41,6% disseram o contrário e, 6,3% declararam operações equivalentes nos dois meses citados.

Setorial – Entre os setores pesquisados, a maioria relatou aumento. O melhor resultado foi apresentado por Móveis (4,40%), seguido por Cine/Foto (2,99%), Livraria/Papelaria (2,26%), Tecidos/Enxoval (1,85%), Vestuário (1,84%), Eletrodomésticos (0,81%) e Presentes (0,51%). Os segmentos que tiveram quedas foram Calçados (–2,08%) e Ótica (–0,32%).

Emprego – Com relação ao emprego, em janeiro de 2018 houve uma redução média no número de vagas de trabalho de – 1,55%. Entre as empresas ouvidas, 91,6% mantiveram seus quadros funcionais no período, enquanto 6,3% demitiram e, 2,1% contrataram. Com relação aos setores, três deles reduziram seus quadros no período, são eles: Cine/Foto (–12,50%), Tecidos/Enxoval (–0,91%) e Livraria/Papelaria (–0,52%).

Análise – Segundo Marcelo Bosi Rodrigues, economista do SINCOVARP, responsável pelo estudo, janeiro tradicionalmente não é um mês de muitas vendas para o varejo de Ribeirão Preto pois são férias escolares e muitas pessoas viajam e deixam de consumir na cidade. “O resultado demonstra um movimento importante, ainda mais quando observamos o crescimento, embora pequeno, tenha ocorrido na maioria dos setores pesquisados. Estamos longe dos volumes de vendas atingidos entre 2010 e 2012 e após esse período entramos em uma recessão e agora estamos iniciando um movimento de recuperação e, ao que tudo indica, o caminho será lento, mas esperamos que desta vez seja duradouro”, explica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *