Vendas do comércio de Ribeirão Preto têm queda de 1,95% em junho

Economia brasileira tem maior queda mensal em maio, mostra BC, após greve dos caminhoneiros
17 de julho de 2018
Copa do Mundo faz varejo desacelerar em junho, aponta pesquisa
19 de julho de 2018

Setor de Móveis e de Vestuário tiveram crescimento no período; segmento de Eletrodomésticos contratou e teve aumento no número de colaboradores de 0,59%

As vendas do comércio de Ribeirão Preto tiveram queda média de 1,95% em junho, quando comparadas com o mesmo período do ano passado. É o que aponta a Pesquisa Movimento do Comércio, realizada mensalmente pelo Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto e Região (SINCOVARP). Entre as empresas entrevistadas, 58,3% declararam que as vendas de 2018 foram piores do que as do ano passado, enquanto 39,6% disseram o contrário e para 2,1% das consultadas foram equivaleram nos dois períodos.

Setorial – Entre os setores, sete, dos nove pesquisados, apresentaram quedas. O pior resultado foi de Livraria/Papelaria, com redução nas vendas de 6,08%, seguido por Ótica (4,37%), Calçados (4,17%), Presentes (2,57%), Cine/Foto (1,73%), Eletrodomésticos (1,40%) e Tecidos/Enxoval (0,40%). Os segmentos que tiveram crescimento foram Móveis (1,78%) e Vestuário (1,43%).

Empregos – Com relação aos postos de trabalho, foi apurada uma retração de 0,79% em junho. Entre as empresas avaliadas, 91,6%, declararam, que não alteraram o número de funcionários, enquanto 6,3% demitiram e 2,1% contrataram. Entre os setores, Calçados, Presentes e Livraria/Papelaria reduziram seus quadros, respectivamente em 6,25%, 0,73% e 0,69%. Já o de Eletrodomésticos admitiu, apresentando elevação de 0,59% no número de colaboradores.

Modalidade de Pagamento Com relação às modalidades de pagamentos utilizadas no comércio, o cartão de crédito continua sendo o preferido, responsável por 54,16% de todas as transações realizadas, seguido pelas vendas à vista (34,39%) e, as a prazo (11,45%), com cheques pré-datados ou carnês.

A área com maior utilização de pagamentos com cartão de crédito foi Cine/Foto (65,00%). As vendas à vista ficaram com Livraria/Papelaria (46,66%) e, as a prazo, com Móveis (19,00%).

Análise – Segundo Marcelo Bosi Rodrigues, economista responsável pelo estudo, o resultado de junho foi mais um banho de água fria para o comerciante de Ribeirão Preto, que começou o ano cheio de esperanças de aumentar suas vendas e tem visto essa expectativa cair por terra a cada mês. “Esse foi o quinto consecutivo com resultado negativo após os pequenos aumentos apresentados em dezembro de 2017 e janeiro deste ano. De maneira geral, o que se observa é que há uma grave crise de confiança na economia, além é claro, do alto índice de desemprego que se mantém no país. É nítida a insegurança por parte do consumidor, indo às compras com muita cautela e preocupado em não fazer grandes dívidas”, explica.

“Com o fim da Copa do Mundo, todas as atenções se voltam para a eleição e a grande dúvida passa a ser: em quem votar? O que se espera é que depois do pleito o país fique melhor do que está”, finaliza Rodrigues.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *